Estou terminado os últimos detalhes paralançar uma plataforma, para permitir que artistas e selos façam uma melhor gestão das suas músicas/DJ sets, e com isso tenham um controle maior de quem são as pessoas que realmente gostam do seu trabalho.

O lançamento oficial vai ser no dia 23 de março (terça-feira), vou aproveitar os próximos dias para provar (através de uma série de artigos aqui no site), que existe um nova forma de se consumir música, e que ela vai substituir a velha indústria, com ferramentas mais baratas (grátis), eficientes e duradouras de se gerir a carreira de um músico/produtor musical.

Estou procurando pessoas que queiram ajudar, outros artistas a conseguirem sucesso e um sustento proveniente só da música.

Você quer (pode) ajudar? Deixe um comentário que eu entro em contato.

Quem ganha dinheiro com música digital?

Esse é um assunto delicado, por favor não gostaria de ver ninguém fazendo comentários impensados e infundados.

Enquanto eu lançava discos em vinil pelo meu selo Br 909, o processo e controle dos estoques eram relativamente simples. Nós fazíamos um pedido na Polysom (única empresa que prestava o serviço no Brasil – eles acabaram de voltar a ativa), os discos chegavam direto na minha casa em Curitiba.

As nossas vendas se concentravam nas lojas de discos de São Paulo, nós sempre fizemos questão de ir até essas lojas, para mostrar os discos e principalmente conhecer os vendedores.

O nosso controle era apenas um recibo, que os donos das lojas assinavam. De tempos em tempos, nós voltávamos para São Paulo, para cobrar os valores devidos e eventualmente deixar mais discos em consignação.

Controle de estoque

O controle não era nada informatizado, mas mesmo assim era a prova de fraudes. Ao chegar em uma loja, o vendedor conferia o estoque. Se naquela loja anteriormente tinha 10 discos e tinham sobrado só 2, isso significava que tinham sido vendidos 8. Nós recebíamos aquele dinheiro e deixávamos outros discos.

Música Digital – Mas se não existe estoque como pode existir controle?

Vamos fazer uma suposição: em lojas de Mp3 não existe um estoque propriamente dito. De uma cópia da sua master é possível fazer infinitos arquivos de Mp3, certo?

Como você pode ter certeza que vendeu 50 downloads se com o mesmo arquivo a loja poderia ter feito 50.000 cópias?

Lojas, distribuidoras e selos

Não me levem a mal, não estou acusando ninguém. Mas já ouvi diversas histórias, de selos que não pagam os seus artistas, e de distribuidoras que repassam valores inferiores aos realmente vendidos.

Observação: Eu mesmo tenho um selo, e muitas vezes percebo que o trabalho para pagar R$10,00/R$12,00 para um artista é maior que o valor devido.

Para cada download legal outros 100 ilegais ocorrem

Estima-se que se você vendeu 50 downloads,  provavelmente 5.000 pessoas conseguiram o mp3 da sua música ilegalmente. Isso sem levar em conta que alguns downloads legais, podem não estar se transformando em dinheiro pra você.

Você pode pensar que tudo isso é promoção (mais gente ouvindo as suas músicas), mas não acho justo ver outras pessoas enriquecendo nas suas costas.

Se a maioria das músicas vai ser pirateada ou o lucro desviado das suas mão, por que não disponibilizar elas de graça de diretamente para os seus fãs já de início?