Qual é a melhor maneira de se apresentar “ao vivo” com um set pronto ou criado no calor da balada?

Definição de Live Pa:

“Apresentação de um ou mais artistas com músicas de própria autoria, com a performance ou não de músicos ao vivo”

Com essa definição mesmo se o artista apenas apertar o “play” em um cd de 60 minutos e ficar dançando ou coisa parecida, isso já vai ser considerado Live Pa.

Nas minhas primeiras apresentações no formato Live, eu tocava com o meu “set pronto” (seqüência completa de todas as músicas), naquela época com certeza foi importante para me deixar mais seguro e confiante, mas com o tempo fui deixando a criatividade fluir e comecei a construir os meus sets ao vivo.

Se no passado pela falta de ferramentas ideais isso era aceitável, com o Ableton Live não é mais.

Veja como é diferente a forma com o ” set pronto” ou não:

-Com um set pronto

As músicas já estão dispostas em uma ordem fixa, o maior problema aqui é que o artista fica preso a idéia que ele teve em seu estúdio, se o som estiver mais pesado ou mais rápido ele não vai ter como mudar.

Set pré montado

-Criando o arranjo na hora

Desta forma o artista pode criar a seqüência na hora, alem de poder reeditar, criar loops e muito mais isso tudo “ao vivo”.

Set criado na hora na tela de cenas

Assista esse vídeo para ver melhor a diferença entre os dois modos:

No blog http://www.deadact.com você encontra dezenas de exemplos de artistas que fingem que estão tocando quando na verdade não estão fazendo nada. Incrível que a maioria esmagadora dos vídeos no site é de festas brasileiras!! O publico brasileiro merece mais respeito ou não?

Segue duas perolas retirada do Deadact.com:

Headroom e Protoculture @ Universo Paralello

Eskimo é o rei das coreografias e afins