Teve gente (e com certa razão), fazendo ótimos comentários, por causa do exemplo, que eu dei no artigo Você é músico? Quer ganhar R$10.300,00 para viver tocando?, por isso resolvi fazer este post com 15 motivos, pelos quais a música e músicos estão em alta e com mais possibilidades de sucesso do que nunca.

Indústria fonográfica em crise, música em alta

A forma de se consumir música, sofreu grandes mudanças no século XX, começou com partituras, partiu para fonogramas (vinil e cd), e na virada do milênio o Mp3 já arregaçava as suas mangas, e também causava grandes estragos na indústria fonográfica.

Essa mesma indústria faturou milhões após a segunda guerra e também com a mudança de formato entre vinil e cd – quem tem mais de 30 anos sabe bem o que eu estou falando. Coleções inteiras de discos foram para o lixo, para serem substituídos pelo novo formato que não riscava e tinha uma qualidade superior (hoje qualquer criança sabe que não é bem assim).

O Mp3 mudou a música para sempre, e ele continua mudando. A velha indústria, que detinha o poder de imprimir os discos, até agora não soube como tirar proveito do novo formato, para ser bem realista talvez nunca o façam.

O ponto que eu quero chegar é que a indústria fonográfica está em crise, mas no outro extremo, produzir e distribuir música nunca foi tão simples e barato, por isso tem muito músico de fundo de quintal se dando bem e alcançando fama internacional.

Fiz uma lista de 15 motivos que provam que a música está mais viva do que nunca:

  1. Montar um estúdio ficou muito mais barato e fácil – basicamente qualquer computador  mais moderno, tem poder de processamento para rodar um seqüenciador com instrumentos virtuais, efeitos e processadores de áudio. O preço de placas de som e monitores de referência estão caindo ano após ano.
  2. A quantidade de informação disponível na Internet e em cursos especializados, facilita a vida de qualquer mortal, que quer aprender a fazer música com qualidade;
  3. A cada dia é lançado um novo software, que auxilia a fazer música. Desde geradores de acordes, aplicativos que descobrem o tom de uma música, que criam padrões de Midi e  que masterizam uma faixa automaticamente.
  4. Os meios de divulgação digital alçam a preço zero, milhões de pessoas: Twitter, Facebook, Orkut (estamos no Brasil), Myspace, Youtube, Soundcloud, Mixcloud, Justin.Tv, Me Adiciona entre outros;
  5. A quantidade de lojas digitais cresce a cada mês (isso significa lançar música sem gastar dinheiro), as vendas desse segmento já são maiores que o meio físico (que representa investimento em impressão e distribuição);
  6. Na Inglaterra, alguns releases digitais, já conseguiram figurar na lista de mais músicas mais vendidas (tanto do meio digital quanto físico);
  7. A música colaborativa on-line, une artistas que estão as vezes a milhares de quilômetros de distância;
  8. Mais e mais artistas, estão disponibilizando projetos abertos para outros produtores estudarem e remixarem;
  9. Pequenos selos estão conseguindo projeção internacional;
  10. O preço de armazenamento e de streaming na Internet, estão caindo pela metade a cada ano (estocar arquivos de música nas nuvens vai ver o seu preço caindo tanto, que esse valor daqui a pouco vai ser arredondado para zero);
  11. Muitos artistas que começaram a trabalhar apenas no mercado digital, já conseguiram atingir fama internacional (o Deadmau5 é um deles);
  12. Estamos vivendo um momento de grande profusão e mistura de influências – nunca na história da humanidade existiu tantos gêneros, estilos e sub-estilos;
  13. Nunca foi lançada tanta música em um ano, como em 2009 (sendo elas boas ou não);
  14. Cada vez mais artistas optam por formatos diferentes de distribuição, muitas vezes a opção é dar as músicas ou permitir que o público pague quanto quiser;
  15. Nunca existiram tantos blogs com informações e ajudando na divulgação de artistas.

Esqueci de algum?