Muitos novos produtores, se espelham em profissionais renomados para produzir suas músicas. Dependendo assim de fórmulas, já pré-testadas e aprovadas para tentar fazer sucesso. Muitos não buscam novas inspirações e timbres com medo de não serem aceitos no meio.

Não é todo dia que nasce uma estrela como o Deadmau5 (lê se Deadmouse), ele antigamente produzia EBM e trouxe influências desse estilo para gerar o seu som que é um híbrido de Progressive, Electro, Trance e Techno. De uma certa forma ele conseguiu renovar a música eletrônica, com uma seqüência de lançamentos que entraram na case dos Top Djs mundiais, músicas estas que pareciam ter saído de uma mesma forma.

Hoje em dia o som do “Deadmau5”, pode ser ouvido em dezenas de outros produtores que tentam fazer sucesso de carona. Isso acelerou o declínio desse tipo de som que caiu em um meio comum. O próprio Deadmau5 agora está explorando sonoridades para tentar recriar uma identidade única.

deadmau5 Vs Renato Cohen

Em um outro extremo podemos usar o exemplo do o produtor paulista Renato Cohen, ele produziu e colocou o mundo aos seus pés em 2002 com a faixa Pontapé, uma faixa relativamente simples mas explosiva. Renato teve a sua música tocada por Djs do mundo inteiro, lançada pelo selo Intec (do top dj Carl Cox), que em poucos meses o lançou em uma promissória carreira internacional, mas Renato ao invés de seguir a mesma forma em suas novas produções, foi criativo desenvolvendo outras faixas que não tinham a cara de Pontapé, apesar dele desfrutar de fama e sucesso internacional, até o presente momento ele não repetiu o mesmo êxito que a faixa de 2002.

Sou produtor, qual caminho eu tomo?

  • Tente criar um som único, que diferencie você da multidão;
  • O Brasil tem um ótimo retrospecto mundial com Carmem Miranda e a Bossa Nova que abriram caminho e mostraram a nossa qualidade musical para o resto do planeta, por que não explorar o nosso suingue ao invés de tentar fazer uma cópia da última moda européia;
  • Se você quiser fazer músicas de estilos diferentes, crie diferentes nomes artísticos. Um para produções de techno, outro para um som mais electro e assim por diante;
  • Pesquise a história da música, antigos gêneros sempre estão voltando e ajudando a renovar padrões vigentes;
  • Pesquise a história dos sintetizadores, muitos deles marcaram gêneros e podem ser usados em outros com grande facilidade;
  • Faça misturas impensadas, por que não lançar o Forró-Techno ou o Psy-nejo;
  • Acelerar ou desacelerar o bpm de uma música também pode criar um novo gênero.