Esse é o segundo artigo defendendo o conceito do novo serviço para músicos, produtores e DJs que eu vou lançar na próxima semana, confira também:

Quem ganha dinheiro com música digital? Estão batendo a sua carteira

Você já ouvir falar no Tim Berners Lee? Ele é um dos criadores da Internet, no começo do projeto afirmou que não gostaria de receber nenhum tipo de royalties pela sua criação:

  • Não preciso desses royalties. Por isso, eu os cedo gratuitamente à humanidade. É a minha contribuição à democratização e universalização da internet“.

Tim Berners Lee

Isso demonstra que a web por definição é compartilhamento de informações. Ela mesma foi compartilhada por seu criador. (Alessandro Martins no http://escrevernainternet.tumblr.com/)

Se a internet no seu período embrionário já era grátis, todo o tipo de arquivo que consequentemente caiu nela também se tornou (ou vai se tornar nos próximos anos). O dilema que a música vem enfrentando também aflige muitos outros mercados (livros, jornais, revistas, foto e cinema) que ao serem digitalizados perdem o seu valor monetário.

Custo Zero = Valor Zero?

A cantora Sheyyl Crow fez o seguinte relato em uma entrevista para o New York Times Magazine: “Fico triste ao ver que as pessoas sentem que a música deveria ser grátis, que o trabalho que fazemos não é valorizado. Quando a música vem de graça por meio de amigos que fazem cópias dos CDs, as pessoas não tem noção do trabalho que dá fazer um disco.”

Você conseguiu identificar o erro no argumento? É que a única forma de mensurar valor é em termos de dinheiro. A internet se baseia em grande parte, em duas unidades monetárias – atenção (tráfego) e reputação (links) – e ambas se beneficiam enormemente de serviços e conteúdos grátis. No fim das contas, é muito fácil converter essas duas moedas em dinheiro.

Não é a toa que o Google se tornou uma das maiores empresas do mundo, oferecendo basicamente serviços grátis. No lado da música quando alguém copia o seu CD ou compartilha uma música on-line, não significa que a pessoa desvaloriza o seu trabalho (muito pelo contrário).

O preço da música está tão baixo, por que não arredondar para zero?

A música vem perdendo e muito o seu valor monetário nos últimos anos.

No Brasil em 1990, se um DJ optasse por tocar com vinil, ele pagaria em média R$40,00 por disco. Como cada disco basicamente só tem uma música boa (para DJs de música eletrônica no máximo tem 2 músicas em cada lado), a partir de 2004 os CDJs começaram a invadir as casas noturnas e em pouco tempo os DJs começaram a comprar músicas on-line, agora por R$4,00 (cada Mp3).

Foram menos de 15 anos e já houve uma diminuição de 90% do valor. Se essa proporção se manter (tudo indica que sim), em pouco tempo as músicas vão custar R$0,40, depois R$0,04 até um momento que ela vai ficar tão barata que vai ser difícil definir o seu valor, vai ser mais fácil arredondar o valor para zero.

Por que eu devo disponibilizar o meu trabalho de graça?

  • Você prefere vender 50 músicas (e provavelmente nunca ver esse dinheiro) ou que mais de 1000 baixem de graça e conheçam o seu trabalho;
  • Até os artistas de renome atualmente ganham mais dinheiro com shows do que com venda de música;
  • A música já é quase grátis, você só está arrendando esse valor para zero;
  • Se a sua música ganhar destaque um um site pago, ela vai ser disponibilizada ilegalmente em outros sites e também em redes peer-to-peer você só está acelerando esse processo;
  • O caminho contrário também vale, você pode fazer bonito no mercado grátis e ganhar notoriedade para entrar no mercado pago;
  • Pessoas que gostam da sua música e baixam ela ilegalmente de graça não são ladrões são fãs, no novo serviço que eu estou criando, eles vão poder dar suporte para você, via comentários, nota e acesso;
  • Muitas sites como Last.fm e Pandora fazem micro pagamentos para as músicas tocadas via streaming, mesmo para artistas famosos esse valor fica em poucos doláres, se é para receber micro pagamentos não é melhor arredondar para zero?;
  • Muitos artistas estão recebendo patrocínio para produzir discos e fazer shows, esse tipo de promoção cruzada só tende a aumentar, neste caso a empresa que investe quer que o artista atinja a maior quantidade de pessoas e a música grátis é a melhor forma;
  • A internet desde a sua essência é grátis, tudo o que cai na rede tem a tendência de ser grátis.

Comunidade:

Gostei muito dos comentários no artigo Quem ganha dinheiro com música digital? Estão batendo a sua carteira, anotei cada um dos relatos e estou levando em consideração para a criação do novo site/serviço.

Muito obrigado pela participação de todos vocês, não quero ser humilde e nem otimista, mas acredito que nós vamos juntos começar uma grande revolução.

Fonte: Free – Grátis – O Futuro dos Preço de Chris Anderson