fbpx

Recebi um e-mail com dois vídeos muito inspiradores, é de uma mesa multi toque baseada na tecnologia da Reactable mas Made In Brasil. O ReacTIVIsion é um projeto open-source, isso significa que toda a documentação pode ser baixada de graça, o problema é conseguir colocar todas essas informações em prática, foi isso que o Raphael Rissato conseguiu fazer.

O Raphael Rissato é de Uberlândia (MG), começou a estudar música aos 10 anos e a tocar na noite aos 14, ele iniciou o btrax (www.myspace.com/btraxproject) em 2007, como ele mesmo conta: “Ainda não tenho muitas tracks publicadas (sou analista de sistemas e o tempo para me dedicar ao btrax estava meio curto nos últimos tempos). Sempre gostei muito de música, pesquiso bastante e, mesmo sem tempo para produzir, eu aproveito o tempo que fico no computador para ouvir de tudo um pouco. A escolha por produzir e-music veio de forma natural pela união do meu interesse por música e tecnologia (como todos que lêem o blog, acredito).”

Entrevista Exclusiva – Raphael Rissato

1) Como surgiu a idéia de criar o projeto?

Vi um post no blog http://createdigitalmusic.com/ (ótimo blog, por sinal) que falava do projeto reacTIVIsion (http://reactivision.sourceforge.net/). Se trata de um framework open source desenvolvido em uma faculdade de Barcelona. Fiquei empolgado quando percebi a oportunidade de ter uma interface mais dinâmica e “tangível” com os softwares e resolvi fazer alguns testes.

2) Como ele funciona (software e hardware)?

A idéia é bastante simples. O software analisa as imagens captadas por uma webcam que filma a mesa por baixo e consegue identificar a posição e inclinação de formas específicas (que estão coladas no fundo dos quadradinhos) que você baixa junto com o software e imprime. Depois de identificar os “fiducials” (termo que o pessoal do projeto usa), o software gera sinais MIDI que com algumas configurações e um pouco de paciência você consegue direcionar para qualquer software. O mais interessante é que as possibilidades não se limitam apenas a controlar programas de áudio. Imagina implementar esse tipo de interface para crianças aprenderem línguas, matemática, etc. através de jogos educativos, ou até pra trabalhar com interfaces multi-touch.

3) Quantas horas você investiu na montagem?

Montar o projeto não foi demorado. Com uns 10 dias do tempo livre e algumas noites de pouco sono, consegui chegar nessa versão do vídeo. Como eu já trabalho com tecnologia, já sou familiarizado com alguns detalhes cruciais que você precisa saber para entender o funcionamento e conseguir configurar tudo direitinho. No site oficial do projeto tem todas as informações necessárias mas, como eu disse antes é interessante ter conhecimento técnico sobre MIDI e XML, por exemplo.

4) Você pensa em comercializar a mesa?

4) Tenho pensando bastante nas aplicações para o projeto, a princípio não tenho nada em mente ainda, mas se alguém se interessar é só entrar em contato. Como o material necessário é barato, acredito que por enquanto seria mais interessante treinar quem se interessar do que vender um pacote fechado. Assim a pessoa monta o hardware de acordo com a necessidade.

5) Ela pode ser usada em qualquer local, ou precisa de uma estrutura especial?

Já testei a mesa em diversas condições de iluminação e os resultados são ótimos. Existem alguns pontos importantes, como o frame rate da câmera que você vai usar. Estou procurando fazer mais testes em lugares diferentes e condições mais adversas para, em breve, colocar essa mesa pra tocar em algum evento aqui.

6) Qual software de áudio você controlou nos vídeos?

Estava usando o Ableton Live, mas como eu disse antes, o framework consegue gerar sinal MIDI, então vai do gosto do freguês hehehehe…

7) Quais são os seus projetos futuros?

Esse ano consegui investir mais no meu home studio, quero melhorar o nível de produção pra lançar minhas tracks, voltar a tocar, seguir estudando e tentando fazer sempre melhor. Estou bastante empolgado com esse projeto, estou praticando bastante pra absorver o novo paradigma e descobrir novas possibilidades, com certeza vou usá-lo no palco pra dar mais vida a mixagem, fazer mashups mais elaborados, e improvisar ao máximo.