Não adianta nada você migrar do vinil e do Cd para o Ableton Live e continuar tocando da mesma forma (músicas inteiras com mixagem na parte final).

O Live abre infinitas possibilidades que podem e devem ser exploradas, com isso você pode criar um verdadeiro diferencial. O lado interessante desse tipo de prática é que os DJs que usam e abusam do Ableton se aproximam dos produtores musicais e músicos e conseguem ter um controle maior da sua performance.

Na semana passada eu fiz uma série completa que demonstra muita das particularidades do Ableton Live em conjunto com diversas controladores (APC 40, Maschine, Launchpad e Controle do Nintendo Wii).

Hoje eu encontrei dois vídeos bem interessantes onde o Darren Cowley e o Eliot Lipp exploram um pouco deste universo.

Isotonik 5.3 device com Max for Live

O Darren Cowley está a mais de um ano desenvolvendo esse template, essa nova versão é paga £14.99GBP (mais ou menos R$80,00), para usar o Isotonik você também precisa ter o Max for Live instalado na sua máquina.

Mais infos no site do Cowley, siga também ele no Facebook e Twitter para mais updates e outras loucuras no Ableton Live.

The Livid Ohm 64 & Ableton Live

Aqui a maior problema para copiar o produtor e DJ Eliot Lipp é investir na controladora Livid Instruments OHM 64 (mas acho que a APC 40 da conta) todos os efeitos e conexões foram feitas com o Ableton Live e os seus instrumentos e efeitos nativos.

Conclusão:

Fuja do padrão normal de um DJ. Experimente, transforme, modifique só assim você vai conseguir criar algo único para apresentar para a sua audiência.

Fonte: DJing With The Livid Ohm 64 & Ableton Live