fbpx

Fiz uma entrevista (que acabou saindo muito bem humorada) com o Francisco Magalhães, ele é o criador de controladoras Midi alternativas, algumas das suas invenções eu coloquei no blog semana passada. Vale a pena conferir o trabalho desse moleque que vai dar o que falar.

Chicontroller

1) Quantos anos você tem e qual o seu envolvimento com música eletrônica?

Fiz 23 anos DENOVO esse ano 😉 hehehehe
Bom, comecei na música eletrônica apenas como frequentador, em baladas/raves. Com o tempo fui me interessando, entrei na área do VJing a alguns anos atrás, tenho um bom conhecimento de Midi e já mexi um pouco com Cubase e VSTs.

3) Onde você aprendeu a criar as controladoras?

A história é longa… Na verdade a resposta para a pergunta 2 e 3 se complementam, então mudei a ordem pois fica cronologicamente mais correto.
Tudo começou quando eu tinha uns 9 anos de idade e meu pai me deu um ferro de solda. Pelos 12~13 anos comecei a programar aplicativos no computador, fiz um curso 1 ano depois e outro quando tinha uns 16, todos voltados a programação.
Chegou um momento que eu já não queria mais fazer programas e ficar preso somente na tela do computador, queria o mundo exterior, comecei a mexer com a entrada de joystick, na época era ligado na placa de som, quem não lembra? Tinha que calibrar toda vez que ia jogar! Depois comecei a trabalhar com a porta paralela, era muito mais interessante que o joystick, cheguei a fazer vários “brinquedos” que iam ligados na porta paralela, como o elevador de Lego:

2) Como surgiu o seu interesse em criar controladores Midi?

Isso foi um dia que eu estava brincando no Virtual DJ, e fiquei muito afim de construir um aparelho que bancasse um “mixer”, mexer com o mouse era muito ruim.
O primeiro projeto era muito mais simples, não usava Midi e era conectado na porta paralela, fiz um software intermediário lia os potenciômetros e simulava um pressionamento de tecla (do teclado), funcionava, mas era muito ruim. Buscando no próprio Virtual DJ eu vi que ele aceitava Midi, não tinha conhecimento nenhum a respeito na época, mas fui pesquisando, o “Google é o cara que sabe de tudo!”, então o controlador ficou do mesmo modo, conectado a porta paralela, mas o programa ao invés de simular as teclas, ele enviava dados Midi por uma porta Midi virtual, era um protótipo muito inicial, mas funcionava muito bem, segue a foto Before-LPT.JPG para ilustrar (bagunça!).
Certo dia me deu na cabeça de mexer com microcontroladores, na época eu nem sabia direito o que era, novamente muita pesquisa e o “Google é o cara que sabe de tudo!” em 2 semanas estava testando meu primeiro programa para microcontrolador, um led que piscava, todo mundo começa com esse hehehe 😉 Depois que fui ver que dava para fazer o microcontrolador fazer toda a parte de Midi, dispensando o programa intermediário e abrindo uma infinidade de novas possibilidades.
Segue a foto ChicontrollerLunch.JPG para ilustrar, o meu primeiro controlador Midi microcontrolado que realmente era Midi. Sim sim, É uma lancheira! Na época deu o que falar!

4) Como funciona o laser controlado por Midi?

Simples demais… basta enviar sinal Midi para ele!
Ele aceita comandos NoteOn e NoteOff, ou seja, pressionar e soltar uma tecla/nota respectivamente.
Quando recebe um NoteOn (pressionamento da tecla/nota) ele direciona o feixe para uma determinada direção e acende o laser!
Recebendo um NoteOff (soltando uma tecla/nota) ele desliga o laser.
Cada nota ele direcionará rigorosamente em uma direção, uma direção fixa para cada nota sempre.
A inspiração veio desse vídeo, que mostra exatamente a proposta. Eu vi e gostei tanto que tive que fazer um mas DE VERDADE. O laser aos começa aos 0:33.

Quanto ao laser, você pode ver como ele funciona no aritgo do blog com as outras invenções. A música é bem esquisita, concordo, mas era o único arquivo Midi que tinha por aqui naquela hora. apesar de tudo, a melodia mostra bem o funcionamento do aparelho.

5) Como funciona o Chicontroller, você pensa em vender ele?

Midi Chicontroller é um controlador Midi 100% construído em casa (fundo de quintal para alguns), eu mesmo que construí todo ele, incluindo circuito elétrico, software, furação da caixa, etc. (não é copiado da internet, nem de revista).

O Midi Chicontroller atual possui 32 canais para potenciômetros, 2 estão vagos e 30 possuem potênciometros instalados, mas não há limite para os canais, alterando o circuito e o software posso colocar quantos quiser.
Display e duas entradas para controles incrementais (sem fim), nessas eu utilizo 2 jogs feitos com HD’s queimados, em um programa como Virtual DJ posso usá-los tanto para jogging como para Scratching.
Também existe uma função que adicionei ao controlador que não vi em nenhum outro, é um modo interpolado com atraso, quando ativado o aparelho cria um atraso nos valores dos potenciômetros como um fade.

-Vender? O meu Chicontroller? De modo algum!… é o meu filhote! hehehe

Chicontroller na lancheira

6) Quais outros controladores você já montou?

Controladores Midi que chegaram a sair de dentro de casa apenas os 2 Chicontrollers, e receptor Midi apenas o Laser Midi.
Mas em casa mesmo já fiz muitos outros protótipos Midi, controlando luzes, motores e lasers.
Atualmente estou também mexendo com DMX (de iluminação) tanto como transmissor (bancando controlador/mesa) quanto como receptor (bancando “moving light/Scanner”)

7) Você produz por encomenda?

Oficialmente não, pois o processo é totalmente artesanal, muito trabalhoso, até mesmo as placas tem que ser desenhas, perfuradas e soldadas a mão.
Mas é tudo questão de conversar, recentemente fiz um conjunto de placas de um controlador para um cliente.