fbpx

Este é o sexto artigo da série “Aula com os Mestres” se você perdeu algum post anterior confira aqui:

Aula com os mestres – Como construir a introdução e a parte final de uma música
Aula com os mestres – Como criar e mixar o Kick e o Baixo
-Gustavo Bravetti – Como montar a introdução e a parte final de uma música
-Aula com os mestres – Criar e mixar a bateria de uma música (Open Hat, Close Hat, Snare e Loops)
-Aula com os mestres – Como fazer a mixagem
-Aula com os mestres – Como criar os breaks

Nesta série eu reuni 9 produtores para falar com exclusividade para o dgtl.lv/clients/ilankriger/wordpress. Quem participa deste post é: Rafael Araújo (Nyllon), César (Ganjasonic), Android (Rússia), Reinaldo (Beat Gate e Swe Dagon ), Mateus B., Claudinho Brasil, Dudu Nahas (D-Ignition), Alonso Figueroa e Rodrigo Lengning,.

As automaçãoes representam uma parte importante no acabamento da produção, ela funciona como uma espécie de cola para conectar as diferentes idéias de uma música.

Como fazer automações

Claudinho Brasil

claudinho-brasiljpeg

A automação na minha opinião é uma das coisas mais importantes na produção musical. Ela que faz a musica ter vida, ter movimento. Ela prende a atenção e cria a tensão. É muito trabalhoso deixar as automações da maneira que realmente queremos, mas é isso que faz a diferença.

Na pratica crio as automações com o mouse e não com o controlador. Sou bem detalhista,e ntão prefiro trabalhar com o mouse e ajustar exatamente o ponto desejado do inicio e fim de cada automação.

Ganjasonic

1790719782-c23d868564-o2

Divido em etapas:

1) Automações de sintetizadores e efeitos para criar vida em sons contínuos;

2) Automações dos canais para o mix (volume , pan e filter)

Beatgate

beatgateIsso depende do programa:

No ableton eu uso um controlador e com o botão rec ligado vou fazendo minhas automações ao vivo;
No Logic prefiro fazer tudo na mão (mouse) pois fica bem linear e preciso.

Alonso Figueroa – E-Level

alonso-figueroa-2

Costumo fazer as automações em duas etapas: as automações de clip (durante a composição das cenas) e as automações na tela de arranjo (quando o arranjo já está pronto). As automações de clip são para dar características que serão constantes no elemento, feitas com o mouse. Já as automações na tela de arranjo servem para dar mais vida ao arranjo, feitas através de knobs e faders (MIDI) e eventuais correções com o mouse, afim de dar mais naturalidade para a automação.

Mateus B.

mateusb1

Dinâmica na música é tudo, sou viciado em combinações de efeitos e muitos botões se mexendo, utilizo a tela de sessions do Ableton para construir umas mais ou menso umas 10 cenas, dentro delas estão vários efeitos linkados no controlador Midi, gravo as automações posteriormente, gosto muito da idéia de ir construindo em tempo real. Depois dou o Rec e gravo as automações e o arranjo na tela de time-line.

Rodrigo Lengning

Rodrigo Lening


Eu atualmente utilizo o Ableton Live para realizar minhas produções e nele costumo usar automações na tela de Clip e na tela de arranjo. Para os Clips, eu faço automações simples de 1 a 4 compassos apenas. Uso essas automações para controle filtros, efeitos e pré-mixes de volumes. Nas automações da tela de arranjo eu uso praticamente tudo, pois boa parte dessas automações são usadas como auxílio na mixagem e também na criação de movimentos e viradas. Controlo desde volume e Panorâmica até um simples parâmetro de algum sintetizador, sempre tentando dar um caráter mais vivo à música.

Android (Rússia)

Dj Android (Russia)

Uso o Ableton Live, faço as automações manualmente (mouse) na tela de arranjo.

Rafael Araujo (Nyllon)

Rafael Araujo (Nyllon)

Na tela de arranjos. No decorrer da track, procuro ir adicionando e retirando elementos de forma criativa e dinâmica.

Dudu Nahas Rodrigo Lengning

Dudu Nahas

De duas maneiras: ou no próprio clip (samples), o que necessariamente tem que ser automações repetitivas, ou em loops. Já na tela de arranjo faço as automações de filtros e efeitos.