Começar a tocar com cd em 2004, foi uma grande mudança de paradigma para mim, percebi que novos formatos e tecnologias ajudariam a melhorar a minha performance ao vivo,  já experimentei:

O meu novo objeto desejo é a Maschine da Native Instruments. Ela incorporada ao Ableton, aumenta muito o poder de improvisação.

Native Instruments

Eu sempre gostei dos Vsts da Native Instruments, já usei muito o FM7 e o Pro-53, uso atualmente o Absynth e o Massive. Apesar de eu nunca ter realmente tentado usar o Traktor para discotecar, sei que Carl Cox, Dubfire, Ritchie Hawtin, Speedy J, Chris Liebing, Pete Tong, Luciano, Loco Dice e Carl Craig não podem estar errados.

Um dos novos produtos da empresa alemã, que me surpreendeu foi a Maschine.

Mas por que a Maschine vale a pena?

  • Pode tambem ser usada como uma controladora Midi com qualquer software que aceite esse formato;
  • Pode se conectar ao Ableton, como uma control surface – como a APC 40/20 e Novation Launch Pad fazem;
  • Vem com um banco de samples com 5 giga, com mais de 14.000 sons (de bateria e percussões a sintetizadores e baixos);
  • Tem uma integração perfeita entre o hardware e software, que permite que o artista manipule o software sem ficar vidrado no computador;
  • Pode ser usada em stand alone (substituindo um sequenciador) ou como Vst dentro do seu sofware preferido;
  • Efeitos de alta qualidade da Native Instruments;
  • Os seus pads tem sensor de velocidade – dependendo da força que você tocar o som sai mais baixo ou alto;
  • Tem 2 telas de LCD, que permitem e facilitam visualizar as funções do software;
  • O browser estilo Kore Player facilita que você organize samples, banco de sons, grupos e músicas inteiras, com uma rapidez e agilidade incríveis;
  • Permite que você toque os sons como um baterista ou no estilo step sequencer (que é o meu preferido), funções como o beatrepet facilitam para criar elementos com expressão;
  • O software pode ser usado como um sequenciador (mesma categoria do Ableton, Logic, Cubase, Reason e etc), o resultado pode ser exportado em áudio;
  • A Maschine também funciona como um vst, isso significa que ela trabalha dentro de um sequenciador aumentando e muito o seu poder sônico;
  • É uma ótima ferramenta para ser usada no estúdio;
  • Pode ser conectado ao Traktor;

Traktor e Maschine – Ritchie Hawtin e Dubfire @ Womb – Japão

O problema nesse set-up, é que o Traktor roda em um computador e a Maschine em outro, cada artista precisa levar dois computadores.

Controle o Ableton

A Maschine, além de funcionar como um vst (instrumento virtual dentro de qualquer sequenciador), pode ser usada para controlar o Ableton de uma forma similar que a APC 40/20 e o Launchpad fazem.

Step sequencer

Achei uma forma rápida e intuitiva de construir padrões:

Deu vontade?

Preço:

U$500,00